quinta-feira, novembro 17, 2005

Ecodesenvolvimento

Tem de se reconhecer que a globalização tem uma forte tendência homogeneizadora do capitalismo e dos mercados globais sobre os vários aspectos culturais, sociais, humanos...A actual problemática ambiental e as perspectivas de um desenvolvimento sustentável, não podem ser analisadas apenas no âmbito da economia ou da ecologia convencional, surgindo a integração entre economia e ecologia e de estas com as ciências sociais e com a educação em particular.Os recursos naturais do planeta, dificilmente poderão responder às necessidades crescentes da população mundial, caso continue o actual processo de desenvolvimento económico. A concepção de uma estratégia de desenvolvimento equilibrado, é um grande desafio para a humanidade.Quando a população humana era pouca em relação ao tamanho do planeta, o capital criado pelo homem era escasso e o capital natural abundante; actualmente e à medida que o empreendimento humano se continua a expandir, os produtos e serviços fornecidos pelos recursos naturais, são cada vez mais escassos.Neste planeta cada vez mais povoado e com menos recursos naturais surge a questão “de quem tem direito a quê”....uma grande questão de difícil resposta!Há duas atitudes possíveis a tomar perante isto: uma atitude optimista, em que se acredita na capacidade humana para transformar para melhor, a realidade que nos envolve, passando pela consciencialização das pessoas e plantando “a semente ambiental” nas crianças mais pequenas; ou uma atitude mais apocalíptica que vê o homem como o maior predador ao cima da terra, e que já nada há a fazer....o caminho está traçado!Eu incluo-me nos primeiros, tenho esperança no ser humano e na sua capacidade de alterar o rumo de degradação que o ambiente está sofrer!Tenho esperanças que o Homem perceba que crescimento económico que o mundo tem vindo a assistir nos dois últimos séculos não é sustentável, quer porque os recursos naturais tendem a ser cada vez mais escassos, quer por que o mesmo levaria a impactes ambientais, que colocariam em causa a sobrevivência do nosso planeta.Nota: Gosto mesmo de reflectir sobre estas coisas...... e vocês?

4 Comments:

Blogger vidal said...

Força Ana!
Quem deseja sempre alcança.
A nossa missão pode ser por vezes difícil, mas a esperança e as convicções conduzem à mudança.
A imagem que escolheste fala por mil palavras "vamos arregaçar as mangas, esfregar as mãos" e agir.
De resto, os nossos miúdos ajudam, o pior são os graúdos,não é?!
Eva

6:46 da tarde  
Blogger Desambientado said...

É isso Ana. É altura de começarmos todos a centrar-nos na acção e nas estratégias para mudar o mundo. Parece poética, parece edílica, até mesmo patética essa ideia de que "uma grande caminhada começa com um só passo". O da Bia, pode ser o primeiro.

1:59 da manhã  
Blogger Fátima Silva said...

Também adoro reflectir sobre estes assuntos, 1º porque é responsabilidade nossa, 2º porque sentimos necessidade de o fazer.
Certa vez o meu filho, de tanto ouvir falar sobre problemas ambientais lá em casa, disse-me:
- Pois é, vocês passam a vida a estragar, não fazem nada e depois a gente que se aguente.
Esta observação não me sai da cabeça.

Pela responsabilidade que me cabe, implícita na afirmação do meu filho e pela necessidade que sinto de aprofundar estas questões pela formação a que voluntariamente me propus, de Educação Ambiental, é um dever reflectir e desmembrar a raíz dos problemas. Só assim se consegue depois determinar linhas de acção.

A tua reflexão é muito pertinente e urgente, pois, de facto, o aumento da população mundial é uma forte ameaça à sustentabilidade do planeta, por todos os factores que abordas. Isto fez-me pensar o quão inócua é a Educação Ambiental nas escolas.
Acho que a grande maioria dos cidadãos possui uma visão optimista do Planeta, quer pela capacidade regeneradora da natureza, quer pelas medidas que os órgãos de poder implementam na sua preservação. Pelo menos, é a sensação que tenho.

7:23 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Quando o Homem sentir que a sua sobrevivêncvia está em risco, aí o seu comportamento mudará. Sei que não é uma visão muito optimista, mas é a realidade!
Este ano, os portugueses nas diversas regiões, sentiram um pouco o que era viver com poucos recursos devido á situação de seca. Toda a economia nacional foi abalada. Aí sim, damos valor a um bem essencial para a sobrevivência de todos os seres vivos e olhamos para tudo o que nos rodeia de maneira diferente!!
Carla

8:05 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home