sábado, dezembro 31, 2005

Dez réis de esperança...

Em noite em que o ano termina, às 22.30 queria por aqui algo que transpirasse esperança, contudo dei por mim a escrever um poema de Gedeão, que acho lindo!...
Penso que adequado para terminar um ano e iniciar outro...
Vamos fazer um ano de 2006 melhor!!!
Se não fosse esta certeza
que nem sei de onde me vem,
não comia, nem bebia,
nem falava com ninguém.
Acocorava-me a um canto,
no mais escuro que houvesse,
punha os joelhos á boca e viesse o que viesse.
Não fossem os olhos grandes do ingénuo adolescente,
a chuva das penas brancas a cair impertinente,
aquele incógnito rosto,pintado em tons de aguarela,
que sonha no frio encosto da vidraça da janela,
não fosse a imensa piedade dos homens que não cresceram,
que ouviram, viram, ouviram,viram e não perceberam,
essas máscaras selectas,
antologia do espanto,
flores sem caule,
flutuando no pranto do desencanto,
se não fosse a fome e a sede dessa humanidade exangue,
roía as unhas e os dedos até os fazer em sangue.
António Gedeão
FELIZ 2006!

17 Comments:

Blogger Desambientado said...

Que lindo.

Ficou fascinado com os poemas de António Gedeão. Esse é lindissimo. São todos.

Creio que a net, transpira Gedeão.

Oxalá que 2006 marcasse efectivamente a diferença, pela positiva.

2:49 da manhã  
Blogger Bitta said...

Adorei a mensagem... poema muito bem escolhido para gente sensível!...
Bom ano para ti...
Bjos

4:24 da manhã  
Blogger Ana Isabel Godinho said...

Dr. Félix:
Concordo consigo, desde o meu 11º, ano um professor que tive de literatura portuguesa, apresentou-me a livro de Gedeão, fiquei deslumbrada, como é que alguém consegue transmitir de forma tão simples e acessível a todos, os pensamentos mais comuns, de forma tão bonita! Fiz uma exposição sobre a obra e a vida dele, no polivalente do escola secundária que eu frequentava...algumas pessoas ficaram a conhecer e a gostar, outras nem por isso...para mim é um dos poetas portuguses de eleição!
Na noite passagem de ano, enqunto esperava pela meia-noite, resolvi mexer nos meus papeis velhos, e este poema saltou-me à vista, resolvi partilhá-lo...

Ana Isabel

7:02 da manhã  
Blogger Ana Isabel Godinho said...

Bitta:
Obrigada, por mais uma vez espreitar...a minha "janelinha", anda bem que gostou...
Bom Ano Novo!

Ana Isabel

7:04 da manhã  
Blogger Desambientado said...

Ana Isabel.

Queria dizer fico fascinado com, em vez de focou fascinado com. Percebeu-se, creio eu, mas também já vi que é fã,.. e de longa data.

3:33 da manhã  
Blogger Fátima Silva said...

Que bom deixar pulsar o coração e deixarmo-nos banhar pelo sentimento, que é o que nos arrasta quando queremos por força a mudança.
Gostei muito

10:16 da manhã  
Blogger Cidalia said...

Tás muito sensível minha amiga!
Não tenho tido tempo para responder a todos os teus posts mas este merece um comentário meu.
Vamos fazer com que de facto 2006 seja um ano que possa valer a pena e que fique na memória de todos, pelo lado positivo.
Jinhos
Cidália

11:56 da manhã  
Blogger Ana Isabel Godinho said...

Fátima:
obrigada pela tua simpatia.
em termos de sensibilidade, tu não ficas nada atrás... e é bom!
Beijinho.

Ana Isabel

12:14 da tarde  
Blogger Ana Isabel Godinho said...

Cidália:
Na época do Natal e final do ano dá-me destas coisas.... melancolia e recordações...
Vai certamente ser um ano muito, muito melhor que o anterior em todos os aspectos..., como diz Wilmar Berna "a mudança começa em nós".
Beijinho.

Ana Isabel

12:14 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Lindo poema. Muito bem escolhido

1:09 da tarde  
Blogger Ana Isabel Godinho said...

Obrigada!

Ana Isabel

1:18 da tarde  
Blogger Desambientado said...

Ana Isabel.
Até nas zonas ´ridas existem cladónias.
Ofereço-te um ramo de Cladonias cariosas.

2:49 da tarde  
Blogger Ana Isabel Godinho said...

Obrigada!
São bonitas como as outras?Não conheço...há Cladonias cariosas
no Alentejo? Ainda não é árido, nem deserto, por enquanto é muito bonito!

Ana Isabel

3:08 da tarde  
Blogger Desambientado said...

Pois é. No Alentejo também há belezas escondidas.
Essas não são específicas do Alentejo, mas há-as por lá, como também cladonias coniocreas.
São tão ou mais bonitas do que as outras, a fotografia é que não é grande coisa.

3:22 da tarde  
Anonymous hugo said...

Muito bonito mesmo.

2006 com muita Paz.

6:38 da manhã  
Blogger Ana Isabel Godinho said...

Obrigada Hugo!
Feliz ano de 2006 para si também.

Ana Isabel

1:29 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

bom comeco

1:20 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home